Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Gato Pardo

Para quem conhece, vocês estão mais que vacinados. Vocês não conhecem isto? São maiores de idade? Trazem o vosso cartão de cidadão, boletim de vacinas e resgisto criminal? Não? Fantástico!!!

Gato Pardo

Para quem conhece, vocês estão mais que vacinados. Vocês não conhecem isto? São maiores de idade? Trazem o vosso cartão de cidadão, boletim de vacinas e resgisto criminal? Não? Fantástico!!!

To be Bowie...

11.01.16publicado por Gato Pardo

Recordo-me da primeira vez que estive frente a frente com David Bowie.

Tinha 8 anos e como qualquer criança curiosa, deu-me para ir vasculhar aquele móvel de madeira negra que ficava por baixo do gira discos lá de casa. Entre Hendrix, Pink Floyd, Elton John, Janis Joplin entre tantos outros, lá estava ele. The Rise and Fall of Ziggy Stardust and the Spiders from Mars. Quem raio é David Bowie? Quem raio é Ziggy Stardust?

Embora estivesse estritamente proibido de tocar sequer no gira discos, lá desafiei a autoridade e meti o 33 rotações a rodar. E fez-se magia. Ao longo da minha vida disse várias vezes que ocasionalmente faz falta ao ser humano ser um pouco Bowie.

E o que é ser Bowie? É roçar o genial, único, desafiar o normal, criar o fantástico, dar a conhecer a nós mortais, o que pensamos nunca vir a existir.

O Camaleão foi tudo isso e muito mais. E agora? Como ficamos nós sem o seu génio, sem a sua capacidade de se reinventar constantemente?

Bowie partiu hoje aos 69 anos, 2 dias depois de lançar o seu último álbum, Blackstar. Ironia ou destino? Quero acreditar que foi desejo dele deixar uma última obra de arte (a juntar a todas as outras desde 1967) para deleite de todos aqueles que souberam e tiveram o privilégio de apreciar o percurso de um dos mais polivalentes artistas musicais (e não só) de sempre.

Foi um prazer conhecer-te, Bowie. E será sempre.

 

5 comentários

Comentar este post